SOBRE O CURSO

Grau: Licenciatura
Modalidade: Presencial
Regime: Semestral
Situação: Reconhecido pelo MEC
Portaria: SERES 794, de 14/12 – DOU 15/12/2016
Conceito do Curso:
CPC: 3 (2014) CC: –
Confira demais atos legais

Horários:
Matutino – das 8h às 11h30
Noturno – das 19h às 22h30

Duração do curso:
8 semestres

Campus:
Campus Lapa
Campus Paulista

Coordenador:
Profa. Luci Ana Santos da Cunha

Corpo Docente:

Mestres e Doutores
96%

 

 

Pedagogia

Os cursos de formação de professores estarão comprometidos com a formação de um professor crítico reflexivo, tal como explicitam as propostas que originam das tendências investigativas atuais, cujo enfoque se dá na formação de professores-pesquisadores que investigam a própria prática, conforme a epistemologia da prática (Schön, 1983; 1992; Pérez Gómez, 1992; Zeichner, 1992; Kincheloe, 1997; Pimenta, 1997, 1998,1999).

Dessa forma, retoma-se a prática emancipatória que se alimenta das bases de um novo paradigma, em contraposição ao paradigma da racionalidade técnica, herdeiro de uma concepção positivista de mundo, que considera o professor como técnico, reprodutor de procedimentos didáticos e manipulador das múltiplas variáveis que interferem na dinâmica da sala de aula.

Os dois paradigmas – o da racionalidade técnica e o do conhecimento-na-ação e sobre-a-ação – expressam, portanto, modos diferentes de conceber as relações sujeito-objeto, o processo de ensinar e aprender, o papel do professor e da profissão docente, sustentando políticas educacionais diferenciadas.

Para melhor exemplificar a concepção de formação de um professor crítico de sua própria prática, alguns pressupostos são fundamentais:

É preciso criar espaço para um novo tipo de investigação complexa na sala de aula, de modo a valorizar o pensamento do professor em relação à sua prática e o seu saber-fazer;
O pensamento prático do professor não pode ser ensinado, mas pode ser aprendido. Aprende-se fazendo e refletindo na e sobre a ação;
O que se tenta formar através do currículo profissional é a capacidade de intervir de forma competente em situações diversas. Esta capacidade é um conjunto coerente, de caráter cognitivo e afetivo, explicativo e normativo, de conhecimentos, capacidades, teorias, crenças e atitudes;
A prática do professor deve ser encarada mais como um processo de investigação-na-ação do que em um contexto de aplicação – o que acentua a necessidade de fazer da pesquisa atitude cotidiana no professor e no aluno (DEMO, 1998);
A prática articulada com a teoria deve ser entendida como eixo central do currículo de formação de professores, ou seja, o processo de formação deve começar pelo estudo e análise do ato de ensinar. Neste sentido, é preciso privilegiar a articulação teoria e prática, pois só a partir de problemas concretos é que o conhecimento teórico pode tornar-se útil e significativo para o futuro professor;
O conhecimento que se mobiliza para enfrentar as situações divergentes da prática é do tipo idiossincrático, construído lentamente pelo profissional no seu trabalho diário e na sua reflexão na e sobre a ação;
A relação teoria e prática como eixo do currículo da formação do professor deve permitir e provocar o desenvolvimento de suas capacidades e competências.

Nesta perspectiva, o curso de Pedagogia estará construindo conhecimento através da mediação continuada da teoria e da prática, desenvolvendo processos de reflexão sobre a prática social concreta. Para isso, investirá em uma sólida formação teórico-prática, incluindo uma organização curricular flexível, que pressupõe, para além de uma estrutura disciplinar, um Núcleo de Formação Profissional responsável pela organização e acompanhamento de estudos independentes, atividades complementares, seminários de integração, projetos interdisciplinares, núcleos de pesquisa, aprofundamento e oficinas pedagógicas, bem como a supervisão contínua das atividades de estágio, desenvolvendo práticas de formação diferenciadas e mais abrangentes. Serão, também, valorizados processos de avaliação mútua e de auto-avaliação, que desenvolvam uma construção crítica de posturas, habilidades e compromissos, acentuando uma educação de qualidade, que seja mais ética e inclusiva.

Mercado de Trabalho

De acordo com as atuais Diretrizes Curriculares, o licenciado em Pedagogia estará apto a atuar no magistério da Educação Infantil, nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, e na Organização e Gestão de Sistemas e Instituições de Ensino.

Na Educação Infantil, o professor exercerá suas funções em creches e pré-escolas particulares, públicas e conveniadas, que atendam crianças de 0 a 5 anos;
Nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, ministrando aulas de 1ª a 6ª série (1º ciclo), no ensino público e particular;
Na Gestão Educacional, o pedagogo receberá capacitação básica para as funções gestoras do processo educacional, estando apto a atuar em Administração e Coordenação do trabalho pedagógico.

Desaparecem, pois, as antigas “habilitações”, a partir de 2007. Entretanto, o Curso de Pedagogia possibilita aos já licenciados, complementação de estudos em um ano, de forma a capacitar os docentes cuja formação anterior destinava-se apenas a uma das áreas atualmente em vigência, dentro da nova legislação: os pedagogos licenciados e habilitados em Educação Infantil poderão complementar seus estudos para exercer o magistério nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e vice-versa. Nas Faculdades Campos Salles é oferecida a oportunidade de realização de estágios na Escola de aplicação, Chácara Campos Salles.